NOTÍCIAS

Cumprimento da CCT e organização dos assalariados são discutidas em Barra do Ribeiro

Larrosa, Santos e Maria Celi trataram de ações conjuntas para melhorar a organização dos trabalhadores assalariados rurais

O presidente da Federação dos Trabalhadores Assalariados Rurais do Rio Grande do sul (Fetar-RS), João Cézar Larrosa e o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas Rurais (Contar), Gabriel Bezerra dos Santos, reuniram-se, nesta quarta-feira (19), com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Barra do Ribeiro, Maria Leci Dias. O encontro integra os roteiros de visitas realizadas pelo presidente da Fetar-RS aos sindicatos com o objetivo de avaliar o cumprimento das Convenções Coletivas de Trabalho (CCTs) após a tragédia climática que atingiu o RS.

“O compromisso da Federação é de fazer a defesa intransigente da manutenção dos postos de trabalho e, sobretudo, dos direitos dos trabalhadores, por isso estamos percorrendo o estado conversando com os dirigentes sindicais para aproximar a Fetar-RS dos municípios e construir estratégias conjuntas de defesa do emprego rural”, afirma Larrosa.

Durante o encontro, os dirigentes da Fetar-RS e da Contar aproveitaram para discutir com a presidente do STR de Barra do Ribeiro a organização dos assalariados rurais no município e ações capazes de aproximar as entidades dos trabalhadores. “Nossa gestão começou em em janeiro no Sindicato, portanto ainda estamos buscando estabelecer um contato maior com os assalariados. Esse trabalho será longo de todo o ano e queremos fazer visitas em algumas fazendas, conhecê-los e levar informação, o que é muito importante. Acredito que o apoio da Fetar-RS está sendo fundamental nesse processo”, declara Maria Leci.

Contar perto da base gaúcha

O presidente da Contar destacou a importância de acompanhar os roteiros para estar perto da base de trabalhadores do Rio Grande do Sul neste período pós-enchentes. “É muito importante nesse momento tão difícil no estado do Rio Grande do Sul poder descer até a base, dialogar com os sindicatos, conversar com os trabalhadores, avaliar e pensar estratégias de como conseguimos contribuir para fortalecer o movimento sindical no estado neste período. A gente sabe que é um momento delicado e nós temos um papel fundamental de ajudar os trabalhadores e as trabalhadoras das mais diversas cadeias produtivas do estado do Rio Grande do Sul”, afirma.

Rolar para cima