NOTÍCIAS

Notícias - Fetar-rs -Inclusão de trabalhadores assalariados rurais em programas de crédito fundiário começa a ser discutida

A diretoria da Federação dos Trabalhadores Assalariados Rurais do Rio Grande do Sul (Fetar-RS), começa a discutir com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) a inclusão dos trabalhadores assalariados rurais em projetos de crédito fundiário do Governo Federal.

Na quinta-feira (28), o presidente da Fetar-RS, João Cézar Larrosa e o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados Rurais (Contar), Gabriel Bezerra, participaram de reunião na superintendência do MDA no Rio Grande do Sul para buscar informações sobre o assunto.

“O sonho legítimo de todo trabalhador assalariado rural é de ter sua própria terra, de poder se estabelecer, também, como agricultor ou pecuarista familiar e, a Fetar-RS está empenhada em tornar isso possível através da elaboração de projetos para incluir nossos associados nos programas federais. Essa não é uma construção que vai ser feita da noite para o dia, mas é uma das pautas prioritárias da Fetar-RS para 2024”, diz o presidente da federação, João Cézar Larrosa.

 

Linhas liberadas no RS

 

No Rio Grande do Sul o programa de crédito fundiário opera, atualmente, com três diferentes linhas de financiamento. Confira as modalidades:

PNFC Mais – Direcionado para pessoas com renda anual de até R$ 55,5 mil e patrimônio de até R$ 144 mil. Oferece financiamento máximo de R$ 280 mil com juros de 2,5% ao ano e 25 anos para pagar com 36 meses de carência. Esta modalidade tem um bônus de 20% de desconto.

PNFC Empreendedor – Para empreendedores com renda anual de até R$ 299,8 mil e patrimônio total de até R$ 500 mil. Oferece financiamento de até R$ 280 mil com 2,5% de juros ao ano, 25 anos para pagar e carência de 36 meses. Nesta modalidade não há bônus de desconto.

PNFC Jovem – Essa linha é direcionada a pessoas com menos de 30 anos com renda anual de no máximo R$ 55,5 mil e que possuam patrimônio de no máximo R$ 140 mil. O valor financiado é de R$ 280 mil e a taxa de juros é de 0,5% ao ano, com 25 anos para pagar e 36 meses de carência. A modalidade oferece, ainda, bônus de desconto de 40%.

Rolar para cima